Qual a importância das ofertas para o varejo brasileiro?

Qual a importância das ofertas para o varejo brasileiro?

As oscilações da economia e um cenário um pouco mais positivo não tiraram a importância que as promoções ganharam junto aos consumidores nos últimos tempos. O estudo mostra que o Brasil está entre os países que mais geraram valor em ofertas especiais (40,1%) no primeiro trimestre de 2017. Em seguida no ranking ficaram Argentina (40%), Reino Unido (38%), Itália (34,5%), Holanda (20,6%), Alemanha (17,4%), Espanha (14,5%) e França (13,5%).

Dados da pesquisa confirmam que o brasileiro gosta e não ignora uma promoção na hora da compra. Cerca de 80% dos consumidores compraram itens em promoção no primeiro trimestre deste ano. Desses consumidores, 55% afirmaram que a oferta especial é o principal fator na hora da escolha da loja.

As ofertas especiais estão no topo da lista de fatores para a escolha de uma loja. Em seguida aparecem confiança, produtos de qualidade, limpeza / ordem e proximidade.

Ganhando importância generalizadamente em 2016, as promoções tiveram papéis diferentes por tipo de canal de compra. Por exemplo: melhoraram a frequência de ida aos hipermercados, apresentando crescimento de 14,5% em comparação com o ano anterior. No caso dos supermercados de rede, as promoções impactaram em aumento dos gastos em 4,9% (deflacionado), e ainda atraíram mais de 1.820.000 domicílios para os atacarejos.

Modelos de oferta que atraem o consumidor

A oferta que mais cativa os brasileiros, segundo o levantamento, é o famoso “leve mais, pague menos”(68%), seguida pelo desconto de preço (64%). Produtos grátis e com brinde, aparecem, respectivamente, com 25% e 23%. O comportamento demonstra que o foco do consumidor, ainda preocupado em racionalizar e planejar, está em obter uma vantagem imediata com as promoções.

Neste momento, os produtos básicos seguem como o foco da hora de encher o carrinho de compras, mas itens considerados “premium acessíveis”, que trazem um benefício claro, conseguem se manter na despensa.

Comportamentos que afetam o consumo

Segundo informações apresentadas na pesquisa, a faixa etária que mais cresce no país atualmente são as donas de casa mais maduras. Um terço das compras são feitas por lares com donas de casa acima dos 50 anos. Com maior renda, o lar com pessoas dessa idade gasta menos que os dos mais jovens e, portanto, sobra dinheiro. Nesses domicílios, os produtos saudáveis se destacam, porque a preocupação com a saúde é mais evidente. Entre eles, pão light e integral, biscoito integral, requeijão light, leite em pó desnatado, iogurte diet, light e zero e refrigerantes diet/light e zero.

Outro comportamento que tem impactado o consumo no Brasil é o fato de que as famílias são cada vez menores. Em 2006, por exemplo, 30% dos lares tinham uma ou duas pessoas. Dez anos depois, o número foi para 32%. Já os que eram compostos por cinco ou mais pessoas, no mesmo período, caíram de 22% para 19%. Atualmente, 7% dos domicílios têm apenas uma pessoa. Essa mudança implica em uma maior demanda de embalagens sob medida, menores e ideais para o momento.

 

Fonte: https://www.kantarworldpanel.com/br/Releases/Consumidor-no-deixou-de-procurar-por-promoes

Fonte: http://www.sm.com.br/detalhe/ultimas-noticias/oitenta-dos-brasileiros-compraram-itens-em-promocao-no-1-trimestre