Ovos de páscoa: ainda são os carros chefe de venda no varejo?

Ovos de páscoa: ainda são os carros chefe de venda no varejo?

Páscoa em 2018

A páscoa tem forte apelo comercial para determinados segmentos do comércio, especialmente o alimentício. Abrange hipermercados e supermercados, produtos de padaria, laticínios, doces e balas, açougues e peixarias.

Após duas retrações consecutivas em 2015 e 2016, a venda de chocolates durante a Páscoa em 2017 apresentou crescimento de 12% em unidades e 10% em toneladas.  Ainda mais, os dados para 2018 se apresentam ainda melhor. Segundo os dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) apontam para uma alta de 3,5% nas vendas durante a Páscoa, o melhor resultado em cinco anos.

Para o economista, Guilherme Almeida, o resultado dos estudos mostra pontos favoráveis. “Houve uma queda no indicador de intenção de compra, no entanto, muitos consumidores ainda poderão se decidir pelos presentes de Páscoa com a aproximação da data. Além da melhoria do cenário econômico, o preço mais contido dos produtos neste ano, até mesmo com deflação em alguns itens, deverá ser um incentivo”, avalia.

Comportamento do consumidor 

O aumento da previsão de vendas trouxe também um ponto importante: não foram os tradicionais ovos que puxaram a elevação. Em 2017, promoções e itens do portfólio regular, como caixas de bombons sortidos e tabletes, destacaram-se no período e representaram 90% das unidades comercializadas.  De acordo com dados da Kantar Worldpanel, caso a tendência de racionalização se mantenha, o cenário de 2018 deve ser parecido.

Ainda assim essas pessoas poderão ser estimuladas a ir às compras pelas ações do comércio. Segundo o levantamento, 53,8% dos entrevistados que pretendem presentear no próximo 1º de abril serão atraídos por promoções, e 37,8%, pelos preços reduzidos. O atendimento diferenciado aparece em terceiro lugar, com 19,3%. O tíquete médio projetado pela maioria dos consumidores (64,9%) é de até R$ 100. Chocolates e doces são a escolha de 94,6% dos clientes.

Entre as empresas impactadas pela data, aproximadamente 76% acreditam em vendas iguais ou melhores em relação a 2017. Para incrementar os negócios, elas pretendem realizar promoções/liquidações (36,7%). Além disso, oferecer produtos alternativos ao chocolate (14,3%), investir em propaganda (13,3%) apareceram nas ações principais das empresas. Um percentual de 4,7% das lojas também planeja contratar funcionários.

Fontes: 

http://aquiacontece.com.br/noticia/brasil-mundo/24/03/2018/vendas-do-varejo-na-pascoa-serao-as-melhores-em-cinco-anos/128993

https://www.kantarworldpanel.com/br/Releases/Bombons-e-tabletes-foram-destaque-na-ltima-Pscoa

https://www.sm.com.br/detalhe/ultimas-noticias/preco-e-diferencial-para-o-presente-da-pascoa

https://exame.abril.com.br/economia/o-preco-salgado-dos-ovos-de-pascoa-e-culpa-dos-impostos/

http://www.supervarejo.com.br/pascoa-2018-previsao-de-alta-nas-vendas/