O impacto dos atacarejos no varejo nacional

O impacto dos atacarejos no varejo nacional

Originalmente da expressão inglesa Cash and Carry, os atacarejos representam um sistema comercial de livre serviço, onde o ponto de venda oferece um modelo de negócios voltado tanto para o comprador profissional, como para o consumidor final. Nele é que o próprio cliente que escolhe o produto diretamente nas prateleiras, comprando-o e levando-o evitando os custos com vendedores, com transportes e com diversos tipos de serviços não essenciais.

Por outro lado, o mix de produtos é geralmente menor do que nos varejistas tradicionais e os produtos são vendidos em embalagens institucionais e packs de grande dimensão, o que permite a prática de preços mais baixos.

Como os atacarejos podem influenciar no varejo?

É inviável oferecer os preços iguais aos dos atacarejos, mas o que acontece é que muitos varejos tentam enfrentar essas lojas reduzindo preços e isso não é a melhor estratégia. Essa estratégia pode levar à compressão de margens, afetar a rentabilidade e comprometer a capacidade de crescimento do supermercado.

Por outro lado, com uma concorrência mais acirrada, é importante os supermercados analisarem o que precisa ser melhorado. Desde excesso de filas nos horários de pico, falta de produto na gôndola, layout ineficiente, corredores desorganizados até funcionários mal treinados e pouco envolvidos. A partir dessa análise, é possível identificar, por exemplo, a necessidade de rever sortimento ou serviços.

Quais os erros que os varejos cometem em relação aos atacarejos?

  • Realizam promoções em excesso e/ou não sabem quais os produtos são impactados por elas. Entenda melhor a importância da análise de estoque nas ofertas.
  • Não avaliam os preços praticados nos atacarejos, deixando de monitorar ao menos os principais itens da curva A (alta importância econômica).
  • Não Identificam negociações mais vantajosas e assim não cobram condições semelhantes dos fornecedores.

Abaixo estão listadas 8 dicas para não ficar para trás do atacarejo:

  1. Ter um posicionamento e proposta de valor claros.
  2. Focar e ampliar a variedade de categorias destino (que chamam mais a atenção), em especial das versões de maior valor agregado.
  3. Planejar estrategicamente as campanhas de oferta, nunca em excesso.
  4. Estabelecer parcerias e negociar as promoções com fornecedores regionais e aqueles que estão menos presentes nos atacarejos, quando possível.
  5. Reforçar a comunicação dos serviços oferecidos pela loja, avaliando, se necessário, as necessidades dos clientes a fim de fazer melhorias.
  6. Investir continuamente na qualidade dos produtos, atendimento e área comercial.
  7. Focar na eficiência operacional para elevar produtividade e assim melhorar os resultados.
  8. Reduzir despesas desnecessárias.

Como a Smarket pode auxiliar os varejos e os atacarejos?                                                      

A Smarket é um sistema online que organiza todo o processo de criação de ofertas e traz as informações necessárias para a tomada de decisão, auxilia na negociação e avalia a performance das ofertas.do varejista.

Ficou interessado e quer conhecer a Smarket melhor? Entre em contato conosco clicando aqui. Confira também nosso vídeo institucional e nossos conteúdos do blog.

Fonte: http://www.sm.com.br/detalhe/concorrer-com-o-atacarejo-pode-ser-uma-cilada

Fonte: http://www.adnews.com.br/artigos/cash-and-carry-invade-o-brasil