Convenção da ABRAS 2018: Tudo que você precisa saber!

Convenção da ABRAS 2018: Tudo que você precisa saber!

A 52ª edição da Convenção ABRAS reuniu lideranças empresariais e políticas de 19 a 21 de março, no Riocentro, Rio de Janeiro. Este ano, o evento trouxe o tema “ABRAS Essencial”, com o objetivo de debater a essencialidade dos supermercados brasileiros.

Na solenidade de abertura o presidente da ABRAS, João S0anzovo Neto, ressaltou o tema da Convenção 2018. “Nosso objetivo é debater a essencialidade do setor, que é uma das nossas maiores vitórias, conquistada em agosto de 2017, com decreto assinado pelo presidente Michel Temer, que fez justiça aos supermercados, que sempre foram essenciais.”

 ABRAS 2018: Tecnologia

Nas palestras da Convenção da Abras, um assunto recorrente foi à mudança dos hábitos de consumo por causa da tecnologia.

Abilio Diniz foi o primeiro palestrante. Ele iniciou com o pensamento da crescente importância da conveniência, facilidade, simplicidade, rapidez e especialização para o consumidor.

Segundo Matthew Brennan, empresário, escritor e especialista em varejo digital, “O comércio eletrônico está rapidamente se transformando no ‘novo varejo’. O limite entre o comércio on-line e off-line desaparece quando nós focamos no atendimento personalizado das necessidades de cada cliente. Na China, nossas iniciativas do novo varejo estão se concretizando”. Já na China o e-commerce representa 30% das vendas, e concretiza o objetivo de migrar o consumidor offline para o online.

Com esse avanço, o varejo físico se torna auxiliar ao varejo online. Isso significa que evolução da tecnologia torna o varejo online mais fácil e automatizado. Além disso também transforma o varejo físico numa experiência de compra (praça de alimentação, estandes…)

De acordo com as palestras, o segredo para manter os diversos canais de vendas ativos é ser omnichannel. Então é possível oferecer o melhor do “dois mundos”: rapidez e comodidade do online e experiência e o relacionamento do físico.

HIPERMERCADOS, ATACAREJO E LOJAS DE BAIRRO

Outro ponto foram as apostas de crescimento do atacarejo e das lojas de bairro pois as duas formas de negócio apresentaram crescimento em 2017. Isso acontece porque houveram dois pontos que aumentaram o interesse do consumidor: praticidade e preços baixos. O consumidor, então, teve que analisar o beneficio de cada um no momento de compra, causando aumento de venda de ambos.

As lojas menores oferecem experiência  e praticidade, entregando valor ao cliente. Por mais que o preço seja um pouco mais caro, o consumidor sente suas necessidades atendidas. Isso porque toda a jornada de compra é pensada para satisfazer as necessidades

Um exemplo disso é mostrar informações nutricionais sobre determinado produto, ou destacar quais frutas já estão prontas para consumo, quais deveriam ser consumidas em alguns dias, etc…

Já os atacarejos entregam economia através do preço baixo e promoções que se demonstraram um fator relevante para os consumidores, segundo a pesquisa da Nielsen em 2017.

O consumidor equilibrou suas necessidades e isso fez com que os dois modelos de negócio prosperassem em 2017. Contudo, um consenso foi que os hipermercados precisam reinventar. É preciso entender o que deve ser alterado para trazer os clientes para perto através da personalização.