O consumo nos supermercados diminuiu em 2015

O consumo nos supermercados diminuiu em 2015

A crise influencia diretamente o comportamento de compras dos brasileiros e o setor dos supermercados, segundo a pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (APAS), realizada em parceria com as empresas Nielsen e Kantar Worldpanel e divulgada em maio de 2016.

Dentre os empresários dos supermercados, 61,7% disseram estar pessimistas em relação ao setor, enquanto apenas 10,3% se diziam otimistas. A Apas afirma que a meta do setor é se ajustar às novas necessidades dos consumidores em meio ao cenário de crise, identificando as categorias de produtos que devem apresentar queda ou alta nas vendas.

Quanto foi a redução do consumo dos brasileiros em 2015?

Após o crescimento nos anos anteriores, entre 2008 e 2014, o consumo nos supermercados voltou ao nível de 2010 em volume de compras. Em 2015, o número de idas ao supermercado por domicílio reduziu de 85 para 81 vezes no ano e o número de produtos comprados em cada ida ao supermercado também caiu em 1,5%.

Para o ano de 2016, o setor de supermercados espera um crescimento nominal de 6,5%, valor menor do que o ano anterior, onde o setor cresceu em 7%. Se for considerado o desconto da inflação, entretanto, a queda no setor foi de 3,6% em 2015, reflexo do aumento do desemprego e da queda da renda dos consumidores, segundo a Apas. A pesquisa revela que, em geral, os consumidores trocaram 50% das marcas para outras com preços menores. Além disso, cerca de 20% dos consumidores que trocaram marcas de alimentos por opções mais baratas, manterão esse comportamento quando a crise melhorar.

O que os supermercados esperam vender na crise?

Acostumados com o aumento do poder aquisitivo conquistado no período pré-crise, os consumidores não desejam mudar seu padrão de consumo. A pesquisa revelou que a classe C não deixa de adquirir produtos “premium” de sua preferência, por outro lado, para compensar, economizam em produtos de categorias que não são prioridade.

De acordo com a pesquisa, 49% dos consumidores estão preocupados com uma alimentação saudável, então aposta-se que essa categoria tem tudo para aumentar as vendas dos supermercados na crise. São dados da pesquisa de 2015 que afirmam isso:

-A compra de refrigerantes em geral caiu 5%, ao mesmo tempo que a de água de coco subiu 11%.

-As vendas de margarina tiveram queda de 1,2% nas vendas enquanto a manteiga teve alta de 10%.

-A compra de leites comuns caiu 6%, já os produtos com menor quantidade de lactose tiveram um aumento de 78%.

As ofertas surgem como uma possibilidade de, através de estratégias assertivas, aumentar o lucro dos supermercados na crise. Confira nosso conteúdo que fala que a crise é para todos e mostra como o varejo pode se beneficiar dela.

Fonte: http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/05/consumo-em-supermercados-voltou-ao-nivel-de-2010-diz-pesquisa.html