Como a Copa do Mundo vai afetar o varejo?

Como a Copa do Mundo vai afetar o varejo?

O brasileiro é um povo alegre, festeiro e que transforma até os momentos menos importantes em algo para se comemorar. Quando há realmente motivos para celebração então, a festa é garantida. E, por sinal, 2018 é ano de Copa do Mundo. 

O evento é um dos mais aguardados pelos brasileiros. Durante aproximadamente 30 dias, empresas e pessoas simplesmente param para confraternizar e torcer pela seleção canarinho. Enquanto alguns reclamam da lentidão dos negócios nessa época, outros faturam alto com a chegada do evento. No entanto, para aproveitar bem a ocasião, é preciso se planejar com antecedência.

EXPECTATIVA DA COPA DO MUNDO

Em 2014, o faturamento subiu em R$ 1,39 bilhões por conta do evento. De acordo com o levantamento, a cada quatro anos, as vendas sobem principalmente para os estabelecimentos de aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e artigos de vestuário esportivo.

A Copa do Mundo de futebol deste ano deve movimentar R$ 1,5 bilhão no varejo brasileiro, segundo a Confederação Nacional do Comércio Bens, Serviços e Turismo (CNC). A estimativa é de que haja um aumento nominal de 7,9% nas vendas em relação à competição que ocorreu no Brasil, há quatro anos.

A CNC espera que o ramo de eletroeletrônicos tenha uma expansão de 49,4% no faturamento, influenciada pela venda de televisores. A pesquisa mostra que o preço do produto permaneceu praticamente estável (alta de 1,1%) nos últimos quatro anos.

DICAS PARA FATURAR DURANTE A COPA DO MUNDO

1) Planeje seu estoque – planeje seu estoque para que não faltem produtos como televisões, geladeiras, racks, mesas de centro, etc.. Tenha variedades de produtos e substitutos.

2) Aposte em venda adicional – os produtos complementares adquiridos por seus clientes antes da Copa é que farão a diferença na sua lucratividade. Por isso, incentive seus vendedores a convencer os clientes a sair da loja com algo a mais.

Em um ano como 2018 onde as datas coincidem (festas juninas e Copa), Camila Pacheco, sócia diretora da Bue Numbers, orienta o atacado a encontra formas de trabalhar os dois temas. “O segredo nesse caso é encontrar sinergia, e de repente ter uma festa junina verde e amarela. Pipoca, por exemplo, vai bem no jogo e vai na festa junina. Dá para explorar de forma conjunta, dando destaque para o futebol nos dias de jogos mais importantes. Sempre que houver sinergia, dá para explorar a venda conjuntamente”, diz. De acordo com Camila, de qualquer forma, ações isoladas são necessárias também. “Não sabemos como será a Copa, mas se o Brasil sai no começo, a gente sabe que a empolgação diminui muito e o foco muda. Então o conselho é se preparar para explorar as duas datas, e ir adequando os destaques conforme o cenário”, recomenda.

 

FONTE:

https://newtrade.com.br/industria/comercio-e-industria-se-prepararam-para-as-festas-juninas/

http://blogs.correiobraziliense.com.br/vicente/copa-do-mundo-deve-movimentar-r-15-bilhao-no-varejo-estima-cnc/

http://blog.gazinatacado.com.br/o-varejo-brasileiro-e-a-copa-do-mundo/

http://www.varejista.com.br/artigos/vendas/6400/copa-do-mundo-como-faturar-mais-na-industria-e-no-varejo